sábado, janeiro 03, 2009

Ponto de Vista
Eduardo Galeano em: De Pernas Pro Ar a escola do mundo ao avesso.

Do ponto de vista da coruja, do morcego,do boemio e do ladrão, o crepusculo é a hora do café da manhã.
A chuva é uma maldição para o turista e uma boa noticia para o camponês.
Do ponto de vista do nativo, pitoresco é o turista.
Do ponto de vista dos indios das ilhas do mar do caribe, Cristovão Colombo, com seu chapéu de penas e sua capa de veludo encarnado, era um papagaio de dimensões nunca vistas.
Do ponto de vistado sul, o verão do norte é inverno.
Do ponto de vista de uma minhoca, um prato do espaguete é uma orgia.
Onde os hindus vêem uma vaca sagrada outros vêem um grande hamburger.
Do ponto de vista de hipocrates, Galeano, Maimônides e Paracelso, havia uma enfermidade no mundo chamada indigestao, mas não havia uma enfermidade chamada fome.
Do ponto de vista de seus vizinhos no povoado de Cardona, a Toto Zaugg, que andava com a mesma roupa no verão e no inverno, era um homem admiravel. - O Toto nunca tem frio - diziam.
ele não dizia nada. frio ele tinha, o que não tinha era agasalho.

2 comentários:

Celle disse...

que maravilha, simplesmente adorei!
apenas verdades rsrs

Celle disse...

que maravilha, simplesmente adorei!
apenas verdades rsrs