quinta-feira, maio 11, 2006



Eu, doente pelo mundo que me cerca, pelas pessoas que me cobram, pelo amigo que tenho, pelas mulheres que nao tenho.
Doente pelo amor que nunca tive, pelo gozo impuro, saliva que saliváva-me, pela falta de pudor de quem convivo.

Doente pela familia que não está, dos confidentes que um dia eu tive...
doente da cabeça, do pé, da mão, do sexo, da coragem, da falta de coragem, da melancolía, da agonia, da solidão , da satisfação, do sucesso, da gratidão, do coraçao, do ódio, do tédio, do amor, do eu, do tu , do nós dois...
Eu doente por mim mesmo.
(eu...)

4 comentários:

Minge disse...

Fabulous.

Gaia disse...

Nossa...

... disse...

eu me senti assim no primeiro semestre inteiro. ficar longe e fora do eixo é foda... beijos!
cecília

disse...

Quase sempre me sinto assim, acho que no meu caso é falta de amor, acho q as pessoas nunca me amam de verdade então acho que tbm não preciso ama-las e isso me deixa doente e com isso tbm acabo não gostando de nada que faço, acho o tempo todo que preciso de mais ou então acho q o q conquistei é banal e sem valor e por mais que o coração pule de alegria por uma nova conquista ou um novo "amor" minha mente diz que tudo aquilo é passagerio e que não vale a pena ficar tão alegre, pois logo aquilo perde a validade... è sou um doente, mas as vezes me pergunto se só imaginário...?!!